Congregação Yaoshorulita oCaminho

 Escrituras Sagradas segundo o NOME

Quem Somos

COMO FAZER PARTE DA CYC

CONTRIBUIÇÕES

SEMINÁRIO EM SUA CIDADE!

MAPA DO SITE

 

SHEMA YSRAEL, YAOHUSHUA ELOHENU UL, YAOHUH  ECHAD! Dt 6:4.

Escuta Yaoshor'u! Yaohushua é o nosso Criador; o Eterno é um Só!

Principal

Onde Estamos

Assim Cremos

ESN - Editora

Curso de Teologia

Desmascarando o Batismo por Linhagem Apostólica e outros Mitos Humanos – Gl 5:4

 
Imprimir

A Congregação Israelita da Nova Aliança [CINA] é o que restou de um falido Ministério Jesuíta (Igreja de Deus 7° Dia no Brasil) com sede em Curitiba (PR). É liderada pelo Sr. Altair Junqueira (que se autodenomina, ou melhor, usa uma “Falsa Identidade” como Rosh Yishai ben Yehudah). O Sr. Altair Junqueira é um ex-pastor ‘ordenado’ da Igreja de Deus do 7° Dia (Após um cisma, grande parte saiu de lá, porém só não conseguiram levar o nome denominacional e por isto foi necessário ‘fundar’ a CINA).

[Texto chave: Testemunhas de Yehôshua]

Edição de oCaminho

 

São extremamente ARROGANTES e se ufanam em dizer que possuem uma tal “Linhagem Ministerial com Conexões Apostólicas” [herdada da igreja mãe; a IDSD – agora um movimento pífio, quase entre famílias]. Ou seja, afirmam ser a “Igreja Primitiva dos Apóstolos”. Sendo que na verdade, são todos “jesuítas” se fazendo passar por judaicos [paganizados, uma vez que o judaísmo atual está extremamente corrompido, pelas suas “rezas, talit sobre a cabeça e pelo uso de uma indumentária de origem egípcia, o kipá”]. Como dito acima, essa aberração doutrinária de uma suposta “Linhagem Apostólica” é uma bagagem que herdaram da Igreja de Deus 7° Dia. Portanto, vamos conhecer agora a Origem desse Ministério.

 

Arrogantes e Acusadores

Essa seita dos “Junqueiristas” defende uma fábula doutrinária, segundo a qual, eles (pretensiosamente) afirmam possuir uma “linhagem” de preservação ministerial com conexões Apostólicas. Linhagem esta que, (segundo eles), “preservada” através dos séculos por imposição de mãos humanas; como se a Obra do Criador fosse semelhante a pedra lavrada por “arte e indústria do homem”. Assim, pregam que a salvação já não é pela fé no Criador, mas pela obra do homem, que arrogantemente possui uma “linhagem” de estirpe justa [isto nos lembra em muito,, os Mórmons, experts em Árvore Genealógica].

Os “Junqueiristas” (Seguidores de Altair Junqueira) são acostumados a perguntar às Testemunhas de Yehôshua: Com que autoridade vocês iniciaram um Batismo em nome de Yehôshua, sem apresentar nenhuma legitimação anterior?

RESPOSTA: - A essa pergunta, eu respondo perguntando: “COM QUE AUTORIDADE JOÃO BATISTA INICIOU UMA LINHAGEM DE BATISMO?” – E o Batismo de João era do ETERNO ou era dos homens? – Sabemos que o Batismo de João era do ETERNO; mas, foi com essa pergunta que o Mestre Yehôshua fechou a boca dos fariseus hipócritas (Mc 11:27-33)...

Nota de o Caminho:  A partir deste ponto, substituiremos os nomes pagãos e adulterados, pelo VERDADEIRO Nome, Yaohushua (do hebraico arcaico).

 

A Verdadeira Linhagem Ministerial

1. Mas, afinal, vamos responder, com que autoridade as ‘Testemunhas de Yehôshua’ iniciaram uma linhagem de Batismo? - Mt 18:19-20. – RESPOSTA: - É com a autoridade outorgada pelo NOME DO CRIADOR; porque não dependemos de nenhuma linhagem humana, mas, o Mestre nos separou e nos elegeu para que fossemos “gerados pela Palavra da Verdade” (Tg 1:18). Assim, hoje, muitos confiam cegamente no Sr. Altair Junqueira (o ‘deus’ deles), porém, nós confiamos no NOME DO REDENTOR, NOSSO CRIADOR YAOHUSHUA, eternamente e para sempre (Mq 4:5). “Sendo nós, pois, linhagem do ETERNO, não devemos pensar que a Divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra lavrada por arte e indústria do homem” (At 17:29).

2. Quando o Criador chamou Abrul’han, foi porque ele pertencesse a uma família santa, ou o Criador o ESCOLHEU E O SEPAROU de uma família idólatra para a Sua Obra? Gn 12:1-4; Hb 11:8 –  Abrul’han vivia no meio de um povo idólatra e foi separado para uma Missão; portanto, NÃO tinha “linhagem” – Sós os que possuem “linhagem” pode “ligar” pessoas à Árvore?.

3. – Que “linhagem” possuía Gideon, cujo pai era adorador de Baal [hoje TRADUZIDO como SENHOR em todas as Escrituras do tipo Almeidas, etc]. Jz 6:25-27 – Gideon, portanto, possuía uma linhagem de Idolatria!!!

4. – Qual é a única Consagração autêntica segundo as Escrituras? - Is 6:5-8 – A Consagração autêntica vem diretamente do Altíssimo! – “Sendo nós, pois, linhagem do Criador, não devemos pensar que a Divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra lavrada por arte e indústria do homem” (Atos 17:29).

Nota de o Caminho:  Linhagem = Filhos do Eterno, a geração eleita!!!

5. Quem consagrou o Apóstolo Paulo/Sha’ul e lhe deu Ministério? (At 26:14-19; Gl 1:11-20) – Que linhagem possuía Sha’ul para ter sido Consagrado pelo próprio Criador e Redentor Yaohushua? (I Tm 1:13; I Co 15:9). – Sabemos que tanto Abrul’han, como Gideon, provinham de uma família (linhagem) idólatra. O Criador os escolheu e os separou para a Sua Obra, sem depender de nenhuma linhagem de preservação humana. O ETERNO é que RESTAURA tudo em quem Ele quer. Os junqueiristas [e a “igreja mãe”, deles] ensinam que somente eles possuem legitimidade de consagração, devido a uma suposta linhagem ininterrupta de consagração ministerial. Diante disso, fazemos aos junqueiristas [e aos “presbíteros” da IDSD], algumas perguntas, que com certeza, eles não têm resposta:

- Se for verdade que são a única e legítima “Igreja de Deus” [até um título paganizado (deus/zeus), eles usam], que veio do “deserto”, por que então, usam a Bíblia feita por Babilônia, (já que consideram todas as Instituições Religiosas como Babilônia); Deveriam ter uma Bíblia original, preservada no deserto, na qual, não houvesse nenhuma alteração feita por Babilônia, não é mesmo? E, pior, indicam a mais nefasta tradução: a NIV – Nova Versão Internacional [Clic Aqui e veja as corrupções desta versão].

- Por que usam os mesmos hinos cantados em Babilônia, e não apresentam nenhum hino vindo do deserto?

- Por que não apresentam nenhum “documento” com a historicidade da linhagem ininterrupta de consagração, preservada no “deserto”?

 

A Origem

Portanto, vamos conhecer agora a Origem desse “Ministério”.

6. Qual é a verdadeira linhagem histórica das assim chamadas “Igrejas de Deus?”.

RESPOSTA: Citamos da brochura publicada pela Igreja de Deus (7º dia) de Meridian (à qual está afiliada a igreja brasileira), “General Council of the Churches of God, Seventh Day”, pág. 08: “Com as bênçãos do Deus Todo Poderoso, as Igrejas de Deus que EMERGIRAM do grande movimento do ADVENTO, continuaram a crescer e vencer os problemas a eles impostos pelas visões da sra. White e sua Igreja Adventista do 7º Dia”. Aqui “emergiu a verdadeira historicidade e origem” da assim chamada “Igreja de Deus”, só que, dentro da Igreja Adventista. Citamos ainda do livro História das Seitas e Religiões, pág. 193: “IGREJA DE DEUS: (Seita). Uma dissidência dos Adventistas do Sétimo Dia, seita do adventismo, doutrina criada por Guilherme Miller, protestante batista, norte-americano. Esta igreja, na sua teologia e nos seus ritos diverge muito pouco dos adventistas do sétimo dia”; porém, são fortes opositores dos escritos da sra. White.

7. – Quanto a OGID no Brasil, também está dividida? - Uma apostila do Sr. Altair Junqueira “Mensageiro Real”, nos relata que os líderes da “Igreja de Deus” no Brasil aprofundaram relacionamento com pastores Americanos e mexicanos, chegando à conclusão de que a igreja brasileira não possuía “linhagem ministerial” e, portanto, não eram ainda “IGREJA DE DEUS”. Então convidaram os pastores Edward Saunders e Carlos Garcia Becerril. Os principais líderes no Brasil foram batizados por estes “legítimos pastores”. “Finalmente podíamos nos considerar verdadeiros obreiros da verdadeira Igreja”; diz o sr. Altair Junqueira.

Vamos analisar o seguinte: - Partindo do ponto estabelecido pelo próprio sr. Junqueira, de que o seu ministério era ilegítimo e destituído de autoridade Divina, porque não estava LIGADO na “linhagem”, considerando ainda que tudo o que é ligado na Terra é ligado no Céu e tudo o que for desligado na Terra, também será DESLIGADO no Céu (Mt 18:18), então o sr. Altair Junqueira e todo o seu SUPREMO CONCILIO, era ILEGÍTIMO, DESTITUÍDO de qualquer autoridade Divina (segundo sua própria doutrina), temos que, infelizmente CONTINUA ilegítimo... Por que tenho em minhas mãos um documento do Ministro CARLOS GARCIA BECERRIL, declarando oficialmente em nome da OGID-MÉXICO e como Presidente do Consistório de Ancianos, que o “ex-ministro” Altair Junqueira foi destituído de seu cargo, bem como todos os demais membros de seu Supremo Concilio (ex-ministro, Aganor, ex-presb. Pedro, etc, etc, etc.) desde que, pela dissidência, saíram de lá e fundaram a CINA; isto é. FORAM “desligados” – repito Mt 18:18. Entenderam agora, por que o senhor Altair Junqueira precisa usar de Identidade Falsa para ministrar? É porque ele foi “DESTITUÍDO” do Cargo que tinha... Batismo, ordenações, santa-ceia e outros atos que os mesmos venham a realizar, a partir desta data (19/06/95), não serão considerados como válidos, para o Ministério da IGREJA DE DEUS. – Sabe o que é isso? É mais uma divisão “naquilo” que chamam de “Igreja de Deus”. O mesmo ministro que “ligou” os “junqueiristas”, é o que agora vem e “desliga-o”. Mas, o Sr. Junqueira, juntamente com os seus conluiados, insistem em seu conto de fadas. Repetimos. depois dessa “divisão” aqui relatada, o ex-pastor Altair Junqueira Fundou (ou melhor “afundou”) isso aí que agora chamam de Congregação Israelita da Nova Aliança.

Nota de o Caminho:  O próprio termo “Nova Aliança” é mais um erro doutrinal, uma vez que o ETERNO não erra e assim, não escolheu errado o Seu Povo [Rm 11:1-2] e, portanto, apenas RENOVOU a Aliança, mediante a cruz!!! O próprio conceito – hoje propalado pelas ditas “igrejas cristãs” de uma “igreja gentílica (Teoria da Substituição) é mais uma aberração doutrinal; ventos de doutrinas.

8. A Bíblia nos ensina que nós dependemos de alguma “linhagem” para nos ligar ao ETERNO? At 17:24-29.

9. O que o apóstolo Sha’ul nos recomenda acerca desta fábula doutrinária? I Tm 1:4; 4:7.

Cuidem-se!!!

Nota de o Caminho:  Não conclua com isto que a CINA esteja errada (por terem sidos “desligados” e que a IDSD está correta, porque continuam “ligados”. O que está errado é a Teoria do Batismo por Linhagem, um absurdo doutrinal e sem relevância para a salvação, mediante o Nome Sagrado – Yaohushua!

Amnao!

 

Revendo e Contestando

Os textos a seguir provém da idsd e foram editados por nós, quanto ao Nome, links e doutrinas espúrias às Escrituras...

A linhagem do batismo.

“Arrependam-se e sejam batizados” é a primeira e mais exemplar porção do unguento que Luka coloca na boca de Kafos para aplacar a ânsia da multidão transtornada pela manifestação espiritual do Redentor. Como que para endossar o seu caráter exemplar, a mesma fórmula reaparecerá, articulada de diferentes formas, em outros momentos-chave do livro de Atos...

A nós cabe a dupla tarefa de determinar o que essas palavras e suas demandas significavam para os que a ouviam naquela manhã, e examinar a fidelidade dessas demandas à postura e à herança do Yaohu’shua, presente nos evangelhos.

Como se verá, os ouvintes de Kafos interpretarão a primeira injunção, “arrependam-se”, à luz da segunda, “sejam batizados” [em Nome de YAOHUSHUA e não em nome de uma trindade], por isso será necessário começar pelo batismo.

É importante que ao final sejamos capazes de reconhecer com clareza duas coisas. A primeira, mais evidente, mas facilmente negligenciável, está em que ao dizer “sejam batizados”, Kafos não estava se referindo a (e muito menos exigindo) uma conversão voluntária e formal dos seus ouvintes ao cristianismo. Nesta altura da narrativa e da história o cristianismo [pelo menos ao molde da ICAR e posteriormente aos moldes dos pentecostais] não havia sido ainda inventado ou intuído em qualquer sentido importante. Os discípulos não haviam ainda ousado proferir ou apropriar-se da palavra igreja [KEHILÁH], e só daqui a duas ou três páginas [depois de At 2:38 (e em contexto diverso)] os seguidores de Yaohu’shua seriam chamados “pela primeira vez” de cristãos. O batismo como rito de entrada ao cristianismo não existia na forma de conceito ou de prática. Eram aqui judeus falando a judeus, alinhando o ETERNO e a fé que tinham em comum às Suas mesmas promessas (reconhecendo assim o seu cumprimento em Yaohushua).

Em segundo lugar, e como que para compensar o que foi dito, aquela não era a primeira vez que os romeiros de Pentecostes ouviam o termo “batizar”. Sendo todos “judeus devotos”, podemos tomar como certo que não ignoravam as raízes profundas que a idéia de batismo (e de purificação com água em geral) tinha em sua tradição e sua prática. Quando expostos ao “sejam batizados” de Kafos, souberam ter uma idéia muito precisa do que ele estava falando e de suas implicações. Kafos não precisou explicar o significado deste ato e como deveria ser realizado!

Em sua ênfase na santidade ritual, a Lei dada a Mehu’shua estabelecia um enorme número de condições que tornavam pessoas e objetos “impuros” – isto é, inaptos para o serviço do Templo e dos sacrifícios. A impureza ritual era uma condição altamente contagiosa: um leproso era por definição impuro; a pessoa que tocava num leproso [ou algo de sua posse] era contaminada pela sua condição e ficava ela mesma impura.Tudo que o imundo tocar se tornará imundo (Nm 19:22).Tornava-se imediatamente impuro o homem que ejaculava, à mulher que menstruava e qualquer um que tocasse um cadáver, um osso ou um túmulo; mas tornava-se também impuro quem tocasse o corpo, a roupa ou a cama de qualquer um desses impuros de primeira instância.

Ao mesmo tempo em que esclarecia tantos e tão frequentes riscos, a Lei [esta sim, cravada na cruz] elencava uma série de provisões para a efetiva descontaminação de objetos e pessoas. Algumas dessas soluções envolviam a apresentação de sacrifícios, mas praticamente todas requeriam a purificação com água – seja por lavagem, aspersão ou imersão, ou ainda uma combinação desses três.

O homem que ejaculava devia “banhar seu corpo todo”, e a pessoa que tocava a cama de uma mulher menstruada devia lavar suas roupas e “banhar-se em água” (Lv 15:16,21). Quem tocasse o cadáver de um ser humano ficava impuro por sete dias. No terceiro e no sétimo dia uma pessoa ritualmente pura devia derramar água viva (isto é, água corrente) num vaso que contivesse as cinzas de uma oferta pelo pecado; em seguida, com um ramo de hissopo, aspergiria essa água sobre a pessoa impura e seus pertences. Finalmente, no sétimo dia, o impuro devia “banhar-se em água”, e a partir do pôr do sol estaria limpo (Nm 19:17-20). Depois de apresentar-se ao sacerdote e oferecer os sacrifícios requeridos, o leproso declarado limpo devia raspar todos os cabelos e pelos do corpo e em seguida “banhar o corpo em água” (Lv 14:6-8,15-16).

O verbo hebraico para esse “banhar-se” é que foi traduzido na Septuaginta pelo grego baptizo – mergulhar, imergir, submergir, – o mesmo “batizar” que surge no Novo Testamento e na instrução de Kafos.

A Mishná, compilada entre o primeiro e o segundo século, mas fixando por escrito material muito anterior, registra as instruções complementares que a tradição estabeleceu para o cumprimento das variadas exigências da Lei. Sobre os banhos de purificação – os batismos – a Mishná [interpretação rabínica das ordenanças] explica que exigiam, em primeiro lugar, água suficiente para cobrir o corpo inteiro. Como nenhuma parte do corpo devia deixar de estar em contato com a água, o batismo de purificação requeria ainda a nudez completa; quando testemunhas eram requeridas, homens acompanhavam homens e mulheres acompanhavam mulheres. E segue estabelecendo dimensões ideais para as piscinas batismais e normas rigorosas sobre a qualidade da água que podia ou não ser utilizada.

Que era dessa forma que os judeus do tempo de Yaohu’shua enxergavam as necessidades do batismo fica claro pelo número de antigas piscinas batismais (mikvaoth) encontradas no Israel daquele período. Só em Jerusalém/Yah’shua-oléym, e datando do primeiro século, foram encontradas 150. Os membros da seita dos essênios, que havia desenvolvido regras de pureza ainda mais exigentes (requeriam imersão completa caso um essênio fosse tocado por alguém de fora, ou mesmo por um membro inferior da comunidade) construíam, literalmente, seus edifícios ao redor de recursivas piscinas de purificação.

O requerimento principal para um estrangeiro que quisesse se converter ao judaísmo era a circuncisão, mas a partir do segundo século os textos começam a mencionar, como exigência adicional, o batismo de imersão e o sacrifício. O primeiro batismo do prosélito (isto é, convertido) representava (em conformidade com suas contrapartidas explicitadas na Lei) a sua transição do estado de estrangeiro impuro ao de judeu autorizado a entrar no Templo e participar do regime dos sacrifícios.

No tempo de Yaohu’shua não havia judeu que ignorasse, portanto, o verbo batizar, que representava em grego um conceito e um procedimento milenar da cultura hebraica. Além de servirem para efetuar a purificação ritual dos que se submetiam a eles, todos os batismos de purificação, quer de judeus quer de prosélitos, tinham outra coisa em comum: eram invariavelmente realizados sem assistência pela pessoa que buscava a purificação.

Ser batizado era uma novidade e uma contravenção. 

Mesmo quando havia testemunhas, a pessoa descia sozinha até a água e sozinha mergulhava de corpo inteiro, batizando a si mesma. Mesmo que não recorramos às regras explicitas da Mishná, o exame da linguagem de Números/Bamidbar e Levíticos/Viyakró deverá bastar para deixar isso claro (”deve banhar-se”, etc).

Mas então surgiu em cena um personagem que introduzia na tradição uma reviravolta, oferecendo um novo discurso e um novo procedimento. Ao invés de pregar que as pessoas deviam se batizar para alcançar a purificação, ‘esse sujeito tomou os pés pelas mãos’ e começou a batizar as pessoas ele mesmo. Até aquele momento o que acontecia é que as pessoas batizavam a si mesmas; “ser batizado por alguém” era uma novidade e uma contravenção! Esse procedimento mostrou-se de imediato tão singular que rendeu ao seu proponente um apelido, o de “imersor” – o Batista.

 

O NOVO NASCIMENTO

“Digo isto irmãos que a carne e o sangue não podem herdar o Reino do Criador, nem a corrupção herdar a incorrupção” I Co 15:50. 

Os povos que têm esperança de subir e morar no céu, a sua mensagem além de aplicar o texto de Jo 14. 2. Para dizer que Yaohu’shua está no céu preparando uma cidade com belas casas para eles habitarem nelas, também aplicam o contexto que Sha’ul fala: Que “carne e sangue não podem herdar o Reino do Criador”… Para dizer: Que Yaohu’shua na sua vinda por meio da ressurreição vai transformar os seus escolhidos e elevá-los à qualidade de anjos celestiais. E também aplicam o contexto de Mt 22:30; Mc 12:30. Para dizer que os salvos depois da ressurreição: deixarão de serem homens, para serem anjos celestiais [tocadores de ‘harpas’].

Todos podem ter certeza, que quando Sha’ul falou “que carne e sangue não herdam o Reino do Criador”, Ele se refere ao cidadão que nasce do ventre da sua mãe, cresce, faz parte de uma religião, mas vive sem o pleno conhecimento da Verdade. O próprio judaísmo como nação em seus dias viveu assim. Tanto é que eles, na sua maioria, rejeitaram o Cristo e o batismo de sepultamento do velho homem; e por conta disso todo aquele que o rejeitou, morreu sem o nascimento da água em consequentemente, do Espírito [Yaohushua, agora onipresente]. O mesmo aplica-se para o judaísmo endurecido dos dias atuais que rejeita o Cristo e o batismo de ligação [para eles, religação – Rm 11]. O próprio termo “religião” vem de religare (lat. ligar ou religar)...

Quem vive nestas condições não passou pelo sepultamento do velho homem, para o nascimento de uma nova criatura - para a obediência à Verdade por meio da semente genuína que é toda a Palavra do Criador -  I Pe 1:23; Lc 8:11; Mt 13:8. Para passar pelo novo nascimento e herdar a transformação, a pessoa tem que aceitar Ele como Salvador, conhecer a Verdade, ser imersa em seu Nome [verdadeiro: Yaohu’shua], para poder dar frutos dignos de arrependimento. Nos seus dias Yaoshor’ul como nação ficou endurecido e não nasceu de novo.

No caso do judaísmo como nação, eles rejeitaram, e ainda rejeitam o Cristo e, consequentemente, o batismo, e por conta disso vivem a vida na carne, sem o Espírito que é Cristo e, portanto, sem MediadorNão passam pelo novo nascimento por conta da incredulidade. Quem vive assim com certeza não pode herdar a transformação e ficará de fora do Reino do Criador. A grande maioria das pessoas também colocam boa parte da lei em prática, mas rejeitam um ou mais mandamentos da Lei dos Mandamentos; e por conta de dar ouvidos a determinadas mensagens confusas tais como a da trindade, da imortalidade da alma e mais recentemente a do arrebatamento (ir ou morar nos céus), não seguem todas as orientações das Escrituras Sagradas. Quem procede assim, com certeza também não herdará o Reino do Criador, por não ter nascido de Yaohushua [estes, reafirmo, crêem no falso nome, jesus – Ap 13:8].

Quanto ao que Yaohu’shua disse: Que “na ressurreição, as pessoas não se casam nem são dadas em casamento; mas são como os anjos no céu” - Mt 22:30. Ele está respondendo aos saduceus que fizeram a Ele uma pergunta sobre a Lei dada a Mehu’shua. Ou seja, Ele respondeu uma pergunta sobre a Lei; e não sobre o estado físico das pessoas depois da ressurreição. Leia o versículo e responda. Onde os saduceus perguntaram a Ele sobre o estado físico das pessoas depois da ressurreição? Em lugar nenhum; porque, na realidade, eles perguntaram sobre a Lei dada a Mehu’shua sobre o casamento, e tiveram a resposta que queriam.

Todos podem ver que a pergunta dos saduceus é sobre a Lei que Mehu’shua recebeu; e Yaohu’shua não seria tão ingênuo a ponto de dar um desvio e responder sobre o estado físico das pessoas; o que seria perder a sua credulidade conquistada durante anos de respostas bem pensadas e objetivas. “Mestre, Mehu’shua disse: Se alguém morrer não tendo filhos, seu irmão casará com a viúva e suscitará descendência ao seu irmão. Ora, havia entre nós sete irmãos: O primeiro, tendo casado, morreu, e não tendo filhos, deixou a sua esposa a seu irmão. A mesma coisa aconteceu com o segundo, até o sétimo. Por fim morreu também o esposo” - MT 22:24-27.

Todos podem ter certeza que Yaohu’shua jamais iria escorregar a ponto de os saduceus perguntarem uma coisa, e Ele responder outra coisa fora daquilo que os saduceus queriam saber. “Portanto, na ressurreição, de qual dos sete ela será esposa, visto que todos a possuíram”? O que os saduceus queriam saber era de qual dos sete irmãos ela será esposa depois da ressurreição no seu Reino. E a resposta de Yaohu’shua foi que a Lei que Mehu’shua usou foi por causa da dureza do coração dos judeus sobre o casamento e divórcio e, não vai ser aplicada no Seu Reino!

Todos podem ver que a resposta do Mestre é sobre a Lei, e não sobre o estado físico de quem quer que seja para depois da ressurreição. No princípio as pessoas não iam a cartório oficializar casamentos. Tanto é que Ele antes havia respondido aos fariseus uma pergunta sobre a Lei do casamento e sobre a carta de divórcio. Veja:

“Então vieram até ele alguns fariseus para testá-lo, e perguntaram: É permitido ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo”? Mt 19:8. Vejam que Ele disse: Que no princípio o homem deixava pai e mãe, para se unir à sua mulher - Mt 19:5, 6. Foi assim com Isaque/Yaohutz’kaq e Jacó/Yaohu’kaf… Gn 22:67; 29:2, 29. Viveram como marido e mulher sem oficializar casamento em cartório. No princípio Ele disse que era assim: E com certeza será assim depois da ressurreição. A lei que Mehu’shua trouxe sobre o casamento e divórcio, por causa da dureza do coração dos israelitas, segundo Ele não vai valer para o seu Reino. Pelo menos foi à resposta dele ao saduceus.

Todos podem ver que a lei do casamento e do divórcio, foi exigência do povo para com Mehu’shua. “Perguntaram-lhe: por que mandou Mehu’shua dar carta de divórcio?Vejam a resposta dele. “Por causa da dureza do vosso coração que Mehu’shua permitiu repudiar as vossas mulheres; entretanto no princípio não era assim” - Mt 19:8. Se os saduceus perguntaram a Ele sobre a Lei de Mehu’shua sobre o casamento, e queriam saber “de qual dos sete ela seria esposa”, teria algum sentido Ele desviar a resposta que eles queriam, e responder sobre o estado físico das pessoas salvas depois da ressurreição? É óbvio que não. Quem conhece Yaohu’shua sabe muito bem que Ele não usava desviar-se assim das perguntas de quem quer que fosse. Quem está fazendo isso são pessoas que querem a todo custo colocar os salvos no céu; para poder justificar os meios – usando traduções paganizadas das Escrituras – de a mensagem deles comprovar: Que as pessoas salvas vão morar lá! Leia Sl 115:16.

Quanto ao que Sha’ul disse: “Que carne e sangue não herdam o Reino do Criador”; ele está se referindo ao velho homem; na carne pecaminosa que possuem. Ele conhecia muito bem a doutrina do novo nascimento, e sabia que se o homem não nascer de novo, ele não herdará a incorruptibilidade, ou seja, a incorrupção, e por conta disso ficará de fora do Reino do Criador. Sha’ul tinha convicção de que para um humano ter condições de reinar com Cristo os mil anos na Terra, ele terá que passar pelo processo de transformação, e isso só vai acontecer com aqueles que nascem de novo. Porque a velha criatura não herdará o Reino do Criador. Tem mensagem prometendo conversão e salvação para as pessoas sem o novo nascimento? Dizendo que eles terão oportunidades para se converterem e tempo para nascerem de novo depois da vinda do Messias? Não sei de onde eles foram tirar essa!!!

O Mestre disse que a “todos quanto o aceitaram: aos que crêem em Seu Nome, deu-lhes o direito de serem filhos do ETERNO; Os quais não nascem do sangue, nem da vontade da carne nem pela vontade de homem, mas nasceram do Criador” - Jo 1:12. O judaísmo como nação, aceitou, ou aceita o nosso redentor? É óbvio que não. Os povos estrangeiros na sua grande maioria de ‘boca pra fora’ também aceitam, mas na hora de sepultar o velho homem com Ele nas águas, rejeitam sepultar a velha criatura em seu Nome; e realizam batismos invocando uma trindade, e por conta disso continuam sendo velhas criaturas, impossibilitadas de herdarem a incorrupção para poder fazer parte do Reino do Criador. Tem alguns até que rejeitam a trindade e i’ir para o céu’, porém, ainda batizam em um nome paganizado: jesus. Mas, saiba que nomes próprios não se traduzem, sob pena de se perder a teofania, isto é, o sentido profético... Como fizeram com o Nome do Criador Yaohushua [e de Seu Pai YAOHUH UL’HIM] e mediante a introdução de títulos mais hereges ainda, tais como ADONAI, SENHOR, DEUS, EL ou ELOHIM, etc.

Sha’ul sabia que a vida do homem perecível mal chega aos oitenta anos, e sabia que se Cristo não transformar os seus escolhidos, em menos de um século de reinado eles perecerão. Tanto é que antes de ele completar o texto ele disse: Que a corrupção não herdará a incorrupção, referindo-se à transformação - I Co 15:50.

Para que o povo possa ter uma idéia, na continuação do texto ele disse que: “Em um momento, num piscar de olhos, ao som da última trombeta. Pois a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformação. Pois é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o mortal se revista da imortalidade” – I Co 15:52, 53. O que ele está dizendo: É que quem não nascer de novo, não será transformado, não herdará o Reino do Criador, por conta de não ter nascido de novo; na Verdadeira Imersão em Nome de Yaohu’shua – At 2:38.

Yaohu’shua disse que o menor no Reino dos céus [não nos céus] será maior do que João/Yaohu’khanan, o imersor. Eles também aplicam o contexto para dizer: Que após a transformação os salvos serão anjos celestiais. Vamos ao contexto para ver se as coisas realmente são assim.

“Em verdade vos digo, entre os nascidos de mulher, não surgiu nenhum maior do que Yaohu’khanan, o imersor, mas o menor no Reino dos céus será maior do que ele” – Mt 11:11. Será que Yaohu’shua está se referindo que no seu Reino, o menor será maior do que Yaohu’khanan, o imersor, no sentido de serem anjos celestiais? Na época que Yaohu’shua falou estas palavras, João estava no cárcere Jo 1:2. E mandou os seus discípulos fazerem algumas perguntas para Yaohu’shua, que em resposta disse: Que “o menor no Reino do céu será maior do que Yaohu’khanan, o imersor”. Todos podem ter certeza que Yaohu’shua está querendo dizer: Que as pessoas depois de transformadas, serão perfeitas como eram Adão e Eva, no Éden; ntes da queda e consequentemente “maiores” que Yaohu’khanan, o imersor.

Os povos que têm esperança de subir e morar no céu, acreditam que lá no céu as pessoas serão maiores do que Yaohu’khanan, o imersor, porque vão ser transformados em anjos celestiais. Mas, pondere, como pode o menor lá no céu, ser maior do que Yaohu’khanan, o imersor, que certamente estará lá também? Principalmente se Yaohu’khanan, o imersor, é o maior de todos os homens nascidos de mulher! Mt 11:11.

Na época que Yaohu’shua falou estas palavras: A Igreja ainda não tinha saído da Galiléia, ou seja, o Reino ainda estava restrito a Yaoshor’ul. Yaohu’khanan, o imersor, tinha passado pelo nascimento da palavra, mas ainda estava com o corpo corruptível, ou seja, perecível; e ainda não era manifesto o que ele iria ser no Reino dos céus [origem, não local].

O que Yaohu’shua está comparando, seria pegar o menor na Igreja, ou seja, uma pessoa com menos talentos espiritual do que Yaohu’khanan, o imersor, levá-lo à transformação do corruptível para a incorruptibilidade e do mortal para a imortalidade; e depois a comparar com Yaohu’khanan, o imersor, ainda corruptível e perecível - para que os seus discípulos pudessem entender que a pessoa depois de transformada e revestida de imortalidade, será incomparável com uma pessoa no corpo, perecível e mortal. O que Ele está querendo dizer: É que depois de transformadas, as pessoas serão perfeitas como Ele é. “Porque assim como Ele é” os transformados serão – I Jo 3:2. Lembre-se, Adão antes de pecar era perfeito, coroado de glória e de honra - Sl 8:5.

Todos sabem muito bem que Yaohu’khanan, o imersor, provou a corrupção e estava morto. Yaohu’shua estava comparando e dizendo: Que a pessoa depois de transformada do corruptível para a incorruptibilidade, e do mortal para a imortalidade, seria maior do que Yaohu’khanan, o imersor, ou do que qualquer outro da Igreja, fisicamente perecível e mortal. Yaohu’shua quis dizer: Que a diferença é incomparável. Ele não disse: Que no Reino do Criador terá alguém maior do que o outro, e nem que lá eles serão anjos celestiais. Com certeza Adão antes de pecar era incomparável com o Adão perecível e mortal, depois do pecado Gn 3:22-24.

Yaohu’shua falou que os israelitas da época erravam por não conhecerem as escrituras - Mt 22:19; Hb 3:10. E a mesma coisa vem acontecendo com eles como nação nos dias de hoje, e também com as pessoas ditas evangélicas, corruptas como as Escrituras que usam. Tanto é que não dá para entender de onde eles foram tirar essa de que as pessoas que servem ao ETERNO, depois da transformação serão como anjos celestiais no corpo físico [teria sido da igreja mãe, a ICAR?]. Não entendem que Sha’ul se refere à perfeição, por meio da transformação?

Aplica-se para as pessoas que não são batizadas no batismo da morte em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, que não vão herdar a incorrupção, porque não sepultam o velho homem com Ele no batismo da morte e não nascem de novo – Rm 6:3-5; Cl 2:12; Gl 3:27-29. Sha’ul foi um dos principais pregadores a confirmar que quem profanar a Lei será consumido – Rm 2:8; II Ts 1:8. Rm 2:13. As pessoas profanam a Lei por não terem passado pelo novo nascimento [verdadeiro, isto é, não passaram por uma Verdadeira conversão], e por conta disso não serão transformadas, e consequentemente não herdarão o Reino do Criador!

Todos sabem muito bem, que o primeiro nascimento do ser humano é o carnal; e todas as crianças nascem do ventre de uma mãe. E sabem que com o Filho do Criador não foi diferente [mesmo que ensinem que não houve uma concepção carnal [todos os povos possuem lendas sobre deuses que nasceram de uma ‘virgem’]. A imensa maioria das pessoas chegam ao fim da vida apenas com o nascimento materno e paterno, e não nascem do Criador. Ou seja, não são sepultados em Cristo no batismo da morte para sepultar o velho homem; e, dali nascer o novo homem para a obediência à Palavra. O que Sha’ul fez, foi esclarecer as pessoas que desejarem herdar a vida eterna, que elas precisam nascer de novo para terem direito à transformação. Dizer que se não for assim, elas ficarão fora do Reino do Criador.

“Crescei, na graça e no conhecimento do nosso Criador e Salvador Yaohu’shua hol’Mehushkyah” II Pe 3:18; Ef 4:15. Este crescimento de conhecimento, nos da capacidade espiritual para entender e explicar, o motivo de carne e sangue não herdar o Reino do Criador. “A isto, Yaohu’shua hol’Mehushkyah respondeu: em verdade, em verdade te digo, que se alguém não nascer de novo, não pode entrar no Reino dos céus -  Jo 3:3. Quem não nascer da água e do espírito não pode entrar no Reino do Criador” - Jo 3:5. Nascer da água e do Espírito, significa ser sepultamento com Ele no batismo da morte, para sepultar com Ele o velho homem transgressor da Lei; e sair dali das águas uma nova criatura para a obediência à Lei do Criador, irrevogável!!!

Aquele que nascer de novo, depois do novo nascimento passa a ser santificado na obediência aos mandamentos e a lei do Criador, para poder herdar a incorrupção e chegar à perfeição. Ou seja, a qualidade de varão perfeito, e não de anjo celestial. Quando Sha’ul disse que “carne e sangue não herdará o Reino do Criador”, ele está se referindo às pessoas que não aceitam o Messias [e Seu Nome – Jo 3:18], o batismo e as condições para tal. É por isso que cremos que a pessoa que não aceitar Ele como salvador antes da sua vinda, e não colocar toda a instrução em prática, ficará de fora do Reino do Criador por conta de não terem nascidos do Criador.

Aquele que não passar pelo novo nascimento, continua na carne, chega ao fim da vida apenas com o nascimento materno e paterno, e não será transformado. E por conta disso não herdará o Reino do Criador. Ficará de fora por não ter nascido do Criador. Na vinda de Cristo aqueles que não nascer de novo, não serão transformados para poder herdar o Reino do Criador. O poder que os vencedores receberão sobre os ímpios, é o poder da transformação.

No Reino do Messias alguns serão reis, outros sacerdotes, e a maior parte deles serão os súditos do Reino. E o grande Rei, regerá a todos com o cetro de Rei maior - Ap 2:26, 27; 12:5. Os súditos do Reino serão pessoas separadas dentre os salvos para este fim!

“Se alguém está em Cristo, é nova criatura” - I Co 5:7; Gl 6:5, ou seja, nasceu de novo! O novo nascimento leva o novo convertido à adoção - Gl 4:5. Ou seja, a condição de “filho do ETERNO”. “Aos que crêem em Seu Nome [...que Nome? Pv 30:4] deu-lhes o direito de serem feitos filhos do ETERNO” - Jo 1:12. Como nova criatura ele passa a ser descendente espiritual de Abrul’han, por meio do batismo da morte em Yaohu’shua - Gl 3-27-29. “Se sabeis que Ele é justo, reconheceis também que todo aquele que pratica a justiça é nascido do Criador” – I Jo 2:29.

“Os quais não nasceram do sangue nem da carne” Jo 1:13. Após o novo nascimento o Criador escreve as Suas leis nas tábuas de carne de seus corações; a nova circuncisão!!! Dt 30:6. “Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Yaoshor’ul, depois daqueles dias, diz o Criador: Colocarei as minhas leis na sua mente, e as escreverei no seu coração; serei o seu UL, e eles serão o Meu povo” - Hb 8:10; 10:16; Jr 31:33; II Co 3:3. Praticam a justiça aqueles que passam pelo batismo da morte em seu [verdadeiro] Nome, e observam as condições de Sua Lei Moral. 

Aquele que nascer de novo é gerado da semente genuína que é a palavra do Criador; para ter luz o suficiente para praticar a lei do Criador, completa. “Todo aquele que é nascido do Criador não vive na pratica do pecado”, ou seja, não transgride a lei, “porque a semente do Criador permanece nele; e não pode viver pecando porque é nascido do Criador” - I Jo 3:9.

Praticar o pecado é praticar “aquilo que é contra a lei” - I Jo 3:3. “Amados, amemo-nos uns aos outros porque o amor procede do Criador; aquele que ama, é nascido do Criador” - I Jo 4:7. O básico da lei, ou seja, os dez mandamentos [Mt 5:17-19] foram escritos em duas tábuas de pedra; em uma os quatros mandamentos referente ao amor ao ETERNO. E isso Yaohu’shua confirmou Mt 22:37-39; Mc 12:30, 31. Se o novo nascido ama ao ETERNO, Ele adora um só UL’HIM. Não toma o Nome do ETERNO em vão, Ex 20:2; Dt 5:11. E também não adora ídolos. Assim, santifica o santo sábado da Lei, (não ab-rogada como aquelas ordenanças que apontavam para o sacrifício de Yaohu’shua, o nosso Cordeiro) e não ao dia em homenagem ao “deus sol” como fazem a cristandade, seguidoras da ICAR!

E na outra os seis mandamentos referente o amor ao próximo, ou seja, se o novo nascido ama o próximo; Ele honra pai e mãe, não mata o próximo [nem por ações, nem por palavras], não adultera, não pratica furtos, não testemunha falso, não cobiça - Ex 20:1 a 17. Ou seja, ele se submete aos Mandamentos que as Escrituras apresentam, e não aceita a mensagem de que Cristo aboliu a lei, com um único intuito: renegar o 4º mandamento, o santo sábado… E nem desconsidera a Lei da alimentação; cf. Lv 11.

Aquele que passa pelo novo nascimento tem luz o suficiente para saber que a lei que Cristo cravou lá no madeiro, quando foi sacrificado pelos judaicos (pela humanidade), foi à lei cerimonial, como as festas, os sacrifícios de cordeiros, os sábados cerimoniais e festivos, os dízimos cerimoniais e festivos das primícias da terra e dos primogênitos dos animais, os dízimos propriamente dito (fonte de sustento exclusivo do sacerdócio levita) e a circuncisão… 

Os povos podem ter certeza, que quando Sha’ul diz: Que Cristo é o fim da lei Rm 10:4, ele se refere à lei cerimonial cuja finalidade era apontar para o sacrifício de Yaohushua, na cruz. Tanto é que em Rm 2:13, Ele disse que: “Não são justos diante do Criador os que ouvem a lei, mas os que praticam é que serão justificados”. Se a lei que Cristo aboliu não tivesse sido a cerimonial, ele teria dito isso? Com certeza não foi a Lei Moral! Ele falou mais, “Anulamos a Lei pela fé? Não de modo nenhum! [Como os ‘evangélicos’ explicam esta passagem?]. Antes estabelecemos a lei - Rm 3:31. Por ai todos podem ter certeza que a Lei que Cristo aboliu foi à Lei cerimonial e festiva. E o sábado do Criador, e a lei da alimentação, continuam válidas até que a Terra e os nossos céus, passe… Mt 5:17-19.

“E acabarei com toda a sua alegria suas festas, suas luas novas, seus sábados e todas as suas solenidades” - Os 2:11; Is 1:13,14. Os contextos aplicam-se para as festas, os sacrifícios de cordeiros, ou seja, para todo o sistema cerimonial e festivo, cumpridas na cruz.

Todos podem ver que só nas três grandes festas, e no dia da expiação continham seis sábados cerimoniais… Que cessaram com o último sacrifício do Cordeiro do Criador - Lv 23:7, 8, 21, 27, 35, 36. Aqueles sábados cerimoniais que cessaram [assumiram um novo significado como a Páscoa/Posqayao assumiu] com a morte de Cristo, eram além dos sábados do Criador;  Lv 23.38. Ou seja, os sábados cerimoniais, o Criador os chama de “vossos sábados”, e para o sétimo dia Ele o chama de “meus sábados” - Ez 20:12, 20… Foi usando os sábados festivos que Sha’ul mandou não julgar ninguém (por causa deles). Foram àqueles sábados que Cristo aboliu na sua morte - Gl 4:9; Cl 2:16, 17. Aplica-se para a Lei que Cristo aboliu e cravou no madeiro... Ef 2:15; Cl 2:14.

Eles não tinham, e nem poderiam ter nada a ver, com o santo sábado do Criador, o Sábado do Sétimo Dia da Criação, presente [o 4º] na Lei Moral; e nem com a Lei dos alimentos… Pelo fato de aqueles sábados serem cerimoniais e festivos, e os animais que eram impuros continuam imundos. Exceto os estrangeiros aos quais os judaicos tinham por imundos; e que o Criador vem purificando através do novo nascimento: At 10 – 11:9.

Aplica-se de início para Cornélio [o primeiro da Grande Multidão – Ap 7:9] e os da sua casa. O Criador mandou Kafos matar e comer, ou seja, batizar e aceitá-los como irmãos na igreja; para eles passarem pelo novo nascimento. Aplicar esta passagem  para orientar o povo profanar o santo sábado, e comer o imundo, é injusta e não pode levar ninguém ao Reino do Criador; antes, levar parta a perdição tanto quem aceita tal mensagem, quanto aqueles que assim ensina – Mt 5:19. O santo sábado faz parte dos Dez Mandamentos da Lei que o Criador estabeleceu para sempre. E a Lei da alimentação nada tem com a Lei cerimonial abolida.

Yaohu’kahanan disse que: “Sabemos que o conhecemos, se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu o “conheço”, mas não guarda, é mentiroso, e a verdade não está nele” - I Jo 2:3, 4. E agora, evangélicos, como ficamos? Ele está falando das Ordenanças da lei Cerimonial ou dos Mandamentos da Lei Moral? E que algumas mensagens modernas dizem: Não serve para a Igreja para os dias atuais - I Jo 2:7. Para que todos possam ter uma idéia, concernente ao santo sábado, as santas mulheres repousaram no dia santo, conforme o mandamento - Lc 24:54-56. O Mandamento que elas procuraram obedecer quando repousaram, foi a “aliança” que o Criador entregou no monte Sinai; ali estava contido também o santo sábado - Ex 20:1 a 17; Dt 31:24 a 26; Gn 2:3; cf. Ex 20:8 a 10.

A Lei do descanso adverte a todos que o sábado é o quarto mandamento da Lei do Criador, e diz para todos os povos: Que aquele que transgride a Lei morrerá no Juízo final por conta da rejeição e transgressão. “Observa o sábado, porque é santo para vós; quem o profanar, este morrerá; porque se alguém fizer nele algum trabalho, aquela pessoa morrerá - Ex 31:14 a 16. E observa o sábado, porque é santo para vós; quem o profanar este morrerá” - Ex 31:14. A morte atingirá aqueles que profanam, ainda que sejam alguns dos mandamentos da Lei [Tg 2:10]; os vivos serão ceifados na vinda de Cristo - Mt 13:41 a 43. E os mortos na segunda ressurreição, no juízo final - Ap 20:11 a 15.

“Todo aquele que crê que Yaohu’shua é o Cristo, é nascido do Criador”  - I Jo 5:1. E aquele que é nascido do Criador entende estas coisas e as coloca em pratica. Sabemos que Yaohu’shua na sua segunda e última vinda vai enviar os seus anjos para fazer uma reciclagem, ou seja, separar o joio do trigo, e vai mandar queimar o joio. O objetivo do tema é esclarecer a todos aqueles que pensam que a transformação levará o homem à condição de anjos celestiais; que a transformação levará os justos à condição de varões perfeitos, ou seja, serão semelhantes a Adan antes de pecar, e a estatura completa de Cristo no presente - I Jo 3:2; Sl 8:5-8. Adan nunca foi anjo celestial [errou o Criador ao criar o ser humano na Terra e agora terá que leva-los para a Sua casa? Sl 115:16]. Além disto, segundo a Lei, um anjo não pode fazer o trabalho de Mediador entre o ETERNO e os homens.

 

O BATISMO APOSTÓLICO

O batismo de Yaohu’kahanan acha-se em conexão com o perdão dos pecados. E deixou todas as nações na obrigação de terem que crer em Yaohu’shua hol’Mehushkyah, e serem batizados em seu Nome. O objetivo do tema é esclarecer os povos que a partir do batismo de Yaohu’kahanan em diante, tanto judaicos como estrangeiros para serem salvos, precisam ser batizados em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, para remissão de pecados. Porque é o batismo que liga a pessoa no Yaoshor’ul que está sendo restaurado com a missão e mensagem da Igreja/Kehiláh. “Quem crer e for batizado será salvo, quem porem não crer será condenado - Mc 16:16. E que em Seu Nome se pregasse o arrependimento para perdão dos pecados a todas as nações - Lc 24:47; Mc 16:15.

As nações precisam saber que Ele é o Cordeiro do ETERNO que tira os pecados do mundo! Jo 1:29, 36. Ou seja, Ele foi o último Cordeiro pascoal que foi sacrificado pelos pecados da humanidade - I Co 5:7; Ap 5:6. “Não há salvação em nenhum outro, pois debaixo do céu não há outro Nome dado entre os homens pelo qual devamos ser salvos” - At 4:12. Se na “aliança” os sangues dos cordeiros vindos das ovelhas e das cabras perdoavam pecados, “quanto mais agora, tendo sido justificado pelo Seu sangue, o de Cristo” - Rm 5:9; Hb 9:13, 14. Pelo precioso sangue de Cristo, como de um Cordeiro sem mancha e sem defeito - I Pe 1:19.“Em quem temos o resgate pelo Seu sangue” - Ef 1:7. O efeito purificador do sangue do último Cordeiro pascoal é superior ao sangue dos cordeiros vindos das ovelhas, das cabras…

Como os povos estão vendo, Ele é o Cordeiro verdadeiro que foi sacrificado para remissão de pecados da humanidade! E não Eles. Razão pela qual o batismo deve ser realizado em Nome dele [que Nome? Certamente o sabes – Pv 30:4]! E não em “nomes”. “Portanto fomos sepultados com Ele por meio do batismo”, e não com “eles” [deuses trino ou Cúpula Criadora, como querem alguns] -  Rm 6. 4. Cl 2:12. Pelo batismo fomos unidos a Ele - Rm 6:5. “Estando vós mortos nas vossas transgressões vos vivificou junto com Ele, perdoando todas as ofensas” Cl 2:13. Os povos podem ver que foi Ele que morreu pelos pecadores, e não “eles” (da trindade); cf I Tm 6:16. “Filhinhos, eu vos escrevo porque os vossos pecados são perdoados por causa do seu nome” Jo 2:12. Foi Yaohu’shua que morreu para salvar a humanidade! Por esta razão, os apóstolos realizavam batismos para perdão de pecados usando o Nome dEle no singular; uma vez que TODA a AUTORIDADE Lhe fora concedida – Mt 28:18.

Os povos podem estar certos que as primeiras conversões de judaicos em massa que foram batizados para perdão de pecados, receberam ordens de Kafos para serem batizados em seu Nome. “Kafos lhes respondeu: arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, para perdão dos seus pecados” - At 2:38. Com os samaritanos também não foi diferente, e nem poderia ter sido. “Quando Filipe lhes pregou as boas novas do Reino do Criador e do Nome de Yaohu’shua foram batizados tanto homens como mulheres - At 8:12. Os apóstolos em Jerusalém/Yah’shua-oléym, ouvindo que Samaria/Shuamor’yah havia aceitado a palavra do Criador, enviaram para lá Kafos e Yaohu’khanan, que ao chegarem lá oraram por todos para que recebessem do Santo Espírito, pois ainda não havia descido sobre nenhum deles, tão somente eram batizados em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah” - At 8:2.

Estamos vendo que da mesma forma que as primeiras conversões de judaicos em massa em Jerusalém/Yah’shua-oléym eram batizadas em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah para perdão de pecados; foi também com os samaritanos em Samaria/Shuamor’yah. Eles também foram batizados em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah para perdão de pecados, completando-se os 144.000 judaicos - At 8:12, 16. Cornélio o primeiro estrangeiro a se converter e a sua casa, também foram batizados em Nome do último Cordeiro para perdão de pecados. ”Então ordenou que fossem batizados em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah - At 10:48.

O batismo de Sha’ul também foi assim. “E agora o que estás esperando? Levante-se, seja batizado e lave os seus pecados invocando o Nome dEle” - At 22:16. Sha’ul ainda diz: “Pois todos quantos em Cristo fostes batizados, vos revestiste de Cristo” - Gl 3:27. E diz também: “Ou não sabeis que todos nós, que fomos batizados em Yaohu’shua hol’Mehushkyah, fomos batizados em Sua morte” - Rm 6:3. E diz mais: “Sepultados no batismo com Ele, nele também ressuscitastes pela fé no poder do Criador, que o ressuscitou dentre os mortos” - Cl 2:12. Yaohu’khanan também fala: “Filhinhos, eu vos escrevo porque os vossos pecados são perdoados por causa do Nome” - I Jo 2:12. Estamos vendo que todos os contextos confirmam: Em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, ou seja, somente em seu Nome; alem de que TODAS estas passagens apontam para a importância do nome (Verdadeiro)!

Como todos sabem muito bem, foi o Cordeiro do ETERNO que tira os pecados do povo! Que foi sacrificado para perdão de pecados da humanidade! Razão pela qual o batismo para perdão de pecados deve ser realizado em Nome do Cordeiro, e não em nomes de deuses trinos um mesmo em um nome falso, corrompido, qual seja, jesus.. Os apóstolos entenderam muito bem o Nome que deveriam usar para batizar, e sobre direção deste mesmo Espírito [Yaohushua, desde o Pentecostes – Mt 18:20; 28:20] realizavam batismos de arrependimento e sepultamento do velho homem!

É por isso que “debaixo do céu não há salvação em nenhum outro Nome” - At 4:12. Porque foi Ele que com um único e último sacrifício para sempre, perdoou os pecados do povo que estão sendo santificados! Ou seja, daqueles que nascem com Ele no batismo da morte. A Bíblia não fala: Que a pessoa nasce com “eles” [trindade] no batismo, e nem poderia falar. Pois foi o último Cordeiro pascoal da “nova aliança”, que morreu para salvar a humanidade! E não “eles”, comprovando que Mt 28:19 foi um acréscimo satânico! É por isso que no batismo da morte do velho homem, a pessoa nasce com Ele, e dali surge uma nova criatura para a obediência à Lei.

 

OUTRA FORMA DE OBTER PERDÃO DE PECADOS É PELO BATISMO EM SEU NOME

Sabemos que  o perdão de pecados na “aliança” era obtido através de sacrifícios de cordeiros vindo das ovelhas e das cabras… E, após a cruz, mediante o sacrifício do Cordeiro do ETERNO [Seu Filho, Yaohushua – Jo 3:16] que tira os pecados do mundo! Ou seja, pelo Seu sangue - Mt 26:28. E, publicamente demonstramos a nossa Redenção, através do batismo em seu Nome. Os sacrifícios expiatórios de animais foram finalmente substituídos pelo verdadeiro e único sacrifício do Cordeiro do ETERNO - Hb 10:9 a 12; 9:12 a 15.

“Yaohu’shua havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita do ETERNO. E “Com um único sacrifício aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados” – Hb 10:12 a 14. O sacrifício de Cristo foi valorizado por todos aqueles que se submetem a Justiça que vem do ETERNO. Eles estão sendo santificados porque aceitam o sacrifício do Cordeiro - Hb 10. 14. E em lugar da circuncisão da carne passam a aceitam o batismo de Ligação em Seu [verdadeiro] Nome, para remissão de pecados.

E depois de batizados são privilegiados de desfrutar do poder purificador do seu sangue, que tem muito mais poder de perdoar pecados, do que os cordeiros vindos das ovelhas e das cabras… Hb 9:13, 14. “Hol’Mehushkyah, o nosso Cordeiro pascoal - I Co 5:7. Ap 5:6. Quanto mais agora, tendo sido justificado pelo seu sangue - Rm 5:9. Pelo precioso sangue de Cristo, como de um Cordeiro sem mancha e sem defeito - I Pe 1:19. “Em quem temos o resgate pelo Seu sangue” - Ef 1:7. Ele é o “Cordeiro do ETERNO, que tira os pecados do mundo” - Jo 1:29.

Com o sacrifício de Cristo, e com o estabelecimento da Igreja e do batismo de ligação, as coisas para o povo judeu mudaram. Ou seja, Yaoshor’ul como nação foi representante legítimo do Criador entre as nações até o surgimento da Igreja/Kehiláh na Galiléia. Naquela época todos os sacerdotes tinham que ser da casa de Arão/Aharon. E Yaohu’khanan, o imersor, com 100% de genética, ou seja, de linhagem de Arão/Aharon, passou a linhagem para a Igreja/Kehiláh. Batizando os apóstolos e também o próprio Messias, transmitiu a LINHAGEM a todos nós... Yaohu’khanan, o imersor, era filho de Zacarias/Zochar’yah um sacerdote levita de peso. Veja: “Nos dias de Herodes, havia um sacerdote chamado Zochar’yah, da classe de Abias, e sua esposa descendente de Aharon, se chamava Oliza’bohay” Lc 1:5. Abias pai de Zochar’yah  era sacerdote da casa de Aharon, nos dias do rei Davi/Daoud. O sacerdócio levita se dividia em vinte e quatro turmas. “A sétima turma; era para Abias” - I Cr 24:10.

Aharon pai genético Zochar’yah e de Isabel/Oliza’bohay foi o primeiro sumo sacerdote em Yaoshor’ul. E foi dele que se originou a linhagem que Yaohu’khanan, o imersor, passou para a Igreja/Kehiláh na Galiléia [ha’Galil]. Foi Yaohu’khanan, o imersor, que abriu caminho para Yaohu’shua reunir os primeiros discípulos, e tudo começou na Galiléia. Foi de lá que a Kehiláh partiu rumo a Jerusalém/Yah’shua-oléym, e depois tomando conta da Judéia/Yaohu’dáh, Samaria/ Shuamor’yah e finalmente para as nações [nós, os estrangeiros]. Deveriam começar por Jerusalém/Yah’shua-oléym, cujo objetivo era o de evangelizar os judaicos a aceitar o Messias, o batismo de ligação, e selar os cento e quarenta e quatro mil com o batismo de Yaohu’khanan, o imersor. Assim que eles terminaram de selar, partiram para as nações no objetivo de fazer a casa do Pai que Yaohu’shua disse que tem muitas moradas crescer: E também o Reino.

Os judeus que até o surgimento da Igreja/Kehiláh [Mt 16:18] tinham um sacerdócio como nação, e recebiam o perdão de pecados através do sacrifício de cordeiros vindos das ovelhas e das cabras; com o surgimento da Igreja/Kehiláh passaram a ter que aceitar individualmente o Cordeiro do Criador, o batismo e as demais condições das Lei Moral. E muitos deles compreenderam a simbologia anterior e aceitaram o Seu cumprimento em Cristo, o Cordeiro do ETERNO, o batismo de ligação e assim foram batizados; em Seu Nome!!!

Mehu’shua foi ordenado [chamado/consagrado] pelo Criador para ungir Aharon e passar a responsabilidade sacerdotal para ele. Yaohu’khanan, o imersor, da linhagem de Aharon, também foi um enviado e ungido pelo Criador para passar a linhagem para a Kehiláh - Is 40:3; Ml 4:5; 3:1; Mt 11:14. Como vimos, a mensagem do batismo de Yaohu’khanan começou na Galiléia - At 10:37. E depois da sua morte, Yaohu’shua dignamente assumiu a liderança da Kehiláh, na Galiléia. Reuniu os discípulos de Yaohu’khanan, o imersor, e liderou-os até o dia da sua morte. Depois da sua morte e ressurreição, Yaohu’shua apareceu para eles, ficaram dias com Ele, e os recomendou não saírem de Yah’shua-oléym, ou seja, não partirem para as nações sem antes selar os cento e quarenta e quatro mil em Jerusalém/Yah’shua-oléym, Judéia/Yaohu’dáh e Samaria/ Shuamor’yah. 

O estabelecimento da Igreja/Kehiláh e do batismo foi necessário, pelo fato de Yaoshor’ul como nação ter um coração fechado para com as nações estrangeiras no sentido de comungar com eles em um mesmo corpo e um mesmo espírito - At 10:28. O estabelecimento da Kehiláh e do batismo os cortou como povo do Criador. Do batismo de Yaohu’khanan em diante, a Kehiláh passou a ser o Povo do Criador. Deixando os judeus na dependência de terem que aceitar o Cristo e serem batizados para voltar a ser povo do Criador. Com o surgimento da Igreja, Yaoshor’ul como nação não é mais povo do Criador. Com a morte e ressurreição Yaohu’shua ganhou poder o suficiente para passar a autoridade para aqueles que João havia legitimado na Galiléia, expandir o Reino do Criador em todo o mundo. Começando evangelizar e batizar primeiro os judeus Mc 16. 15; Lc 24. 47; Mt 28. 28. 19.

Isso equivale a dizer que aquilo que a Casa de Aharon realizava nas coisas concernentes ao Criador [principalmente transmitir a LINHAGEM], a Igreja/Kehiláh passou a fazer. Ou seja, a preeminência hereditária de fazer os sacerdotes da Casa de Arão/Aharon [Ex 28:1; 40:12 a 16] passou para a Kehiláh de Cristo. Com a perda da preeminência [cumpriu-se na cruz], a Igreja/Kehiláh agora sob o comando do Seu próprio fundador, YAOHUSHUA, passou a fazer sacerdotes de israelitas de todas as tribos, e depois de pessoas de todas as nações da terra. Um novo sacerdócio se iniciava: nós, sacerdócio Santo, geração Eleita – I Pe 2:4-10.  A Igreja sobre novo sacerdócio [da ordem de Melquisedeque/Molkhi’Tzaodóq – Hb 5:6] tem como Sumo sacerdote, Yaohu’shua hol’Mehushkyah, o Filho do ETERNO. Razão pela qual, com o último sacrifício do Cordeiro verdadeiro Ele removeu todo aquele sistema cerimonial e festivo; e substituiu o sacerdócio de Arão/Aharon pelo sacerdócio que Yaohu’khanan estabeleceu a partir da Galiléia. Portanto, PRECISAMOS de ‘alguém’ [humano] para TRANSMITIR esta linhagem, Santa e Eleita??? Ela JÁ nos pertence, desde a cruz!!!

Portanto, com o estabelecimento da Igreja/Kehiláh, sobre administração espiritual de um novo Sacerdócio, foi estabelecido o batismo em nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah em lugar da circuncisão. O batismo deixou não só o povo judaico, mas todos os humanos na dependência de terem que aceitar o sacrifício de Cristo, o batismo e as demais condições da Lei Moral para poder ser povo do Criador e ser salvo por Ele naquele dia.

Com o “cumprimento” [dos rituais levitas e da circuncisão] em função do batismo, aqueles dentre os judaicos que estavam fora, mediante o batismo de Yaohu’khanan, retornam. Foram ligados no Yaoshor’ul espiritual, a Kehiláh de Yaohushua, que estava sendo formada mediante o batismo de Yaohu’khanan, na Kehiláh. Nos primeiros doze anos de pregação do evangelho do Reino aos Israelitas, cento e quarenta e quatro mil foram selados com o batismo de Yaohu’khanan, agora feito exclusivamente no Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah. O retorno foi um reconhecimento do sacrifício expiatório de Yaohu’shua, o Cordeiro de YAOHUH UL’HIM. Ao retornarem, eles que eram circuncidados, foram batizados no batismo que Yaohu’khanan pregou, para sepultamento do velho homem, e surgimento de uma nova criatura, por meio do novo nascimento, pois, quem passa pelo novo nascimento se torna uma nova criatura, espiritualmente falando - Jo 3:3; Rm 6:4; Cl 2:12.

Na “Aliança” agora renovada em Yaohushua, aqueles que O rejeitam como o Messias prometido, e consequentemente, o batismo de ligação em Seu Nome, vivem desligados do tabernáculo de Davi/Daoud que está sendo restaurado, e não fazem parte do povo do Criador, sejam eles judaicos ou não. Ele morreu pela humanidade e não por uma nação. “Pois há um só UL’HIM, e um só mediador entre YAOHUH e os homens; Yaohu’shua hol’Mehushkyah, homem” -  I Tm 2:5. Yaohu’shua é “mediador de superior aliança”, ou seja, “a Aliança”* agora renovada na cruz - Hb 8:6; 9:15; 12:24. Como Mediador Ele foi fiel em toda Casa do ETERNO. “Cristo, porém, como filho, sobre Sua Casa, a qual Casa somos nós” - Hb 3:6. A Casa do Criador é composta por pessoas de todas as rações que aceitam o sacrifício de Cristo!!!

Nota de o Caminho:  Não existe o que os “evangélicos” chamam de “Nova Aliança” [erroneamente traduzida nas Escrituras corrompidas pelo paganismo – as Bíblias evangélicas]. Admitir a “substituição da igreja” por uma tal de “igreja gentílica” (até a denominação “gentílica” demonstra falta de conhecimento escriturístico por parte dos tais) é admitir que o ETERNO errou ao escolher o Seu Povo e por isto, precisou substituir! Rm 11.

Tem pessoas que praticam o rebatismo. Aqueles que praticam o rebatismo deveriam refletir que ao rebatizar uma pessoa que foi batizada [segundo o Nome] e sepultada em Cristo, ele está sepultando de novo Yaohu’shua hol’Mehuskyah. As pessoas de fora da Igreja não vão entender o fato de uma pessoa que foi batizada nas águas, voltar de novo às águas e ser rebatizada pela mesma Igreja que o batizou. Sabendo que o candidato já foi batizado, e agora está descendo de novo às águas para passar por um rebatismo, com certeza vão se escandalizar. MAS...

“Porque, se continuarmos a pecar deliberadamente, depois de termos recebido o pleno conhecimento da Verdade, já não restam sacrifícios pelos pecados” - Hb 10:26. Yaohu’shua disse que: “É Inevitável que venham escândalos, mas ai daqueles por meio de quem ele aconteça” - Lc 17:1. Os que negam o REBATISMO usam esta passagem para dizer que é neste caso que o apóstolo fala que não resta mais sacrifício. Dizem, não resta, porque o Mestre Yaohu’shua já foi crucificado e “sepultado no batismo da morte”, com ele. Dizem, ainda que ele tenha se desviado do Caminho, ao retornar não pode sepultar de novo Yaohu’shua, nas águas do batismo. Usando o profeta Ezequiel/Kozoq’ul que disse: ...se um justo se desvia do Caminho e depois se arrepende e retorna, ele não morrerá no seu pecado - Ez 18-24 a 28.

Esse justo nos dias de Kozoq’ul aplicava-se ao judeu que se desviava da sua justiça e passava a praticar a injustiça, depois se arrependia, retornava a praticar a justiça – PORÉM, não antes de se purificar novamente mediante a lei levita - e não morria no seu pecado. Porém, os que não admitem o REBATISMO dizem: Kozoq’ul não falou que o desviado teria que se circuncidar de novo para alcançar o perdão do Criador. A palavra pode ser aplicada à uma pessoa que foi sepultada com Cristo [em Seu Nome] nas águas por um rosh da Igreja, portadora dos mandamentos da Lei do Criador. Ainda que a pessoa que foi batizada e sepultada com Cristo se desvie, ao retornar não pode ser rebatizada.

Voltando à passagem de Hb 10:26, acima, o texto não está dizendo (e nem poderia dizer) que para o desviado não resta mais o perdão, e nem salvação. Está dizendo: Para o desviado que retorna ao Caminho da justiça, não sepultar de novo Yaohu’shua, nas águas do batismo...

Isso vale principalmente para aqueles que deixam a Igreja e se desviam. O desviado ao retornar ao caminho não deve ser rebatizado. Ele ao retornar deve se firmar no caminho, e com esforço e dedicação buscar o perdão, que o ETERNO [mediante a intercessão do Messias] é misericordioso para perdoá-lo. Aquele que pratica o rebatismo, está estabelecendo a sua própria justiça e rejeitando a que vem do Criador. Você que está desviado do Caminho, procure retornar! Mas não aceite ser rebatizado por quem quer que seja… Eles não têm conhecimento de causa quando rebatizam uma pessoa que já passou pelas águas batismais na Kehiláh de Yaohushua, em Seu Nome! Porém...

 

REBATISMO

Os sacrifícios expiatórios de animais na “aliança” antes da cruz, foram cumpridos pelo sacrifício do Cordeiro do ETERNO, que tira os pecados do mundo! “Yaohu’shua havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita do ETERNO porque com um único sacrifício aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados”- Hb 10:12, 14; 9:12 a 15. O sacrifício de Cristo foi valorizado por todos aqueles que se submetem à Justiça que vem do ETERNO – Jr 23:6. Todos aqueles que estão sendo santificados aceitam o último sacrifício do último Cordeiro que foi sacrificado para sempre!

Para o pecador ser aceito precisa aceitar Ele como salvador, ser batizado em seu Nome para remissão dos pecados. E viver sob condições de obediência aos mandamentos da Lei do Criador. E também não ousar questionar o seu Criador - Rm 9:20. Aqueles que aceitam estas condições estabelecem a justiça que vem do ETERNO, e se um deles se desviar do caminho e praticar a injustiça, ou seja, aquilo que é contra a Lei; e, depois cair em si e retornar ao caminho e praticar os mandamentos e a Lei do Criador; para ele depois do retorno não resta mais sacrifício pelos pecados, ou seja, não resta mais rebatismo.

Leia: “É impossível, pois que aqueles que uma vez foram iluminados e provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do santo Espírito. Experimentaram a boa palavra do Criador e os poderes da era porvir, e depois caíram, sejam outra vez renovados para arrependimentos, pois, de novo, estão crucificando para si mesmo o Filho do Criador e o expondo à desonra pública” - Hb 6:4-6. Texto confuso? Então leia em uma Escritura unitariana: “Se alguém já recebeu a luz de UL, se provou das coisas celestiais, se participou de hol’kodshua RUK’HA (o santo Espírito), se viu como é boa a palavra de UL e conheceu o poder do mundo que há de vir, e, depois disto tudo, se afastou de UL, não encontrará uma segunda oportunidade para arrependimento! É como se crucificassem novamente ha’Bor de YAOHUH, expondo-o publicamente à afronta” – ESN [Escrituras Sagradas segundo o Nome, EUC – Edição Unitariana Corrida by CYC]. Todos podem ter certeza que uma pessoa que foi batizada na Kehiláh (Verdadeira) e que foi sepultado com Yaohu’shua no batismo da morte (para sepultar o velho homem) não pode descer às águas, novamente! Mesmo porque, só lhe resta o perdão mediante a intercessão do Messias!

Para a obra ser completa, Yaohu’shua foi sepultado com ele no batismo da morte. “Porque, fomos sepultados com Ele na sua morte por meio do batismo” - Rm 6:4; Cl 2:12. Este sepultamento “no batismo da morte”, aplica-se ao sepultamento do velho homem para o nascimento de uma nova criatura para a obediência às leis do Criador. Por isto Sha’ul foi claro: Aquele, pois, que pensa estar em pé, olhe não caia. I Co 10:12-14.

O objetivo do tema é fazer aqueles que praticam o rebatismo entenderem que ao rebatizar uma pessoa que foi batizada corretamente (segundo o Nome), eles de novo estão tentando sepultar o Filho do Criador. Porque Yaohu’shua já foi sepultado com o pecador no batismo. “Sepultado no batismo da morte”. Ainda que a pessoa tenha se desviado do Caminho, ao retornar ele não deve ser rebatizado. Ez 18:27, 28. Assim como um judeu que se desviava do caminho da justiça, e depois retornava a praticar a justiça não era circuncidado de novo; da mesma forma a pessoa que se desvia do Caminho e retorna não deve ser rebatizado. “Por essa vontade é que fomos santificados por meio do sacrifício do corpo de Cristo, uma vez por todas” - Hb 10:10. Ele estabeleceu “Um único sacrifício para perdão de pecados” Hb 10:12. Ele foi sacrificado “uma única vez para sempre”, e não vai ser sacrificado de novo com a pessoa que desvia e retorna. Levá-lo as águas batismais de novo, é sacrificar outra vez o Filho do Criador.

“Não resta mais sacrifício”, ou seja, a Bíblia fala de batismo da morte, e não de rebatismo da morte. Aplica-se, no entanto, à uma pessoa que conhece o Caminho da Verdade [do Nome], que é batizada na Kehiláh de Yaohushua, se desvia e depois retorna ao Caminho e é rebatizada! No seu retorno não resta rebatismo! ”Porque, se continuarmos a pecar deliberadamente, depois de termos recebido o pleno conhecimento da Verdade, já não restam sacrifícios pelos pecados”, ou seja, rebatismo - Hb 10:26. Esse sacrifício aplica-se no sentido de sepultar o Criador Yaohu’shua hol’Mehushkyah de novo com a pessoa depois do seu retorno. Assim deve ser em todas as oholyaos/congregações do Criador. A pessoa que conhece a Verdade e se desvia do Caminho, se um dia retornar não deve ser rebatizado. Aquele rosh que pratica o rebatismo, está estabelecendo a sua própria justiça e rejeitando a justiça que vem do Criador. Gl 4:5.

Portanto, não estamos nos referindo à uma pessoa que desceu as águas e foi batizado no plural, ou seja, foi batizado em nome de uma “tríade de deuses”, e não em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, como determina as escrituras. Ou alguém que vem de um movimento religioso que desconsidera alguns dos Mandamentos da Lei Moral como o 4º mandamento (o shabbós), por exemplo, e ou se alimenta de animais imundos (Lv 11). Estes devem ser REBATIZADOS, ou melhor, ser Verdadeiramente Batizados, uma vez que aquele outro não foi válido! Vejam os contextos referentes ao batismo em Seu Nome - Lc 24:47; At 2:38; 4:12; 8:16; 10:43, 48; 19:5; 22:16; Rm 6:3-5; Cl 2:12; Gl 3:27-29; Cl 3:17; I Jo 2:12.

Mas, em Atos 19 não temos um rebatismo praticado por Sha’ul? SIM, porém note que ali houve um complemento, na realidade; leia: Atos 19:1-8

Sha’ul em Efsiyah

Enquanto Apolo estava em Qorintyah, Sha’ul percorreu a província da Ásia e chegou a Efsiyah, onde encontrou vários discípulos. Receberam hol’kodshua RUK’HA (o santo Espírito) quando creram, perguntou-lhes. Não, nem entendemos o que seja hol’kodshua RUK’HA (o santo Espírito)! Mas, em que doutrina é que creram quando foram imersos, perguntou-lhes. Naquilo que Yaohu’khanan, o imersor, ensinou. Sha’ul explicou-lhes então que a imersão de Yaohu’khanan servia para manifestar o desejo de nos desviarmos do pecado e nos voltarmos para YAOHUH, mas, que os que recebiam essa imersão tinham de dar um passo em frente e crer em Yaohu’shua, aquele que Yaohu’khanan dissera que viria mais tarde. Logo que souberam disto, foram imersos no Shuam (Nome) de Maoro’eh Yaohu’shua. Quando Sha’ul lhes colocou as mãos sobre a cabeça, hol’kod-shua RUK’HA (o santo Espírito) desceu sobre eles, e começaram falando noutras línguas e a profetizar. Eram cerca de doze homens.

Notou? Nem estavam sabendo que o Messias JÁ VIERA, e assim ocorreu o “rebatismo”... Daí, reafirmo, este estudo contra o rebatismo só se aplica à uma pessoa que foi sepultada com Cristo nas águas por um rosh da Kehiláh de Yaohushua, portadora dos Mandamentos da Lei Moral completa. Repito, se esta pessoa batizada na Kehiláh se desviar, e vier a retornar, rosh nenhum tem direito de rebatizá-lo... Estes, ao retornarem ao Caminho, não devem ser rebatizados. No retorno devem se firmar no Caminho e com esforço e dedicação buscarem o perdão do ETERNO, mostrando através de sua conduta diária, o seu arrependimento e mudança pessoal; caso contrário, cumpre-se ... volta o cão ao seu vômito, e a porca lavada volta a revolver-se no lamaçal - II Pe 2:22. A pessoa que retorna pode ter certeza que o ETERNO é misericordioso para perdoá-lo! Portanto...

NÃO RESTA MAIS SACRIFÍCIO

“Por essa vontade é que fomos santificados por meio do sacrifício do corpo de Cristo, uma vez por todas” – Hb 10:10. Ele estabeleceu “Um único sacrifício para perdão de pecados para sempre”. Isto nos remete aos animais que eram sacrificados ano após ano, na “Aliança” e que deram lugar ao “Cordeiro de UL’HIM, que tira os pecados do mundo”. E também para o sepultamento dos pecadores que se arrependem e descem com Ele, nas águas do batismo; sepultando o velho homem, para o novo nascimento de uma nova criatura, apta à obediência da Lei.

O texto não está dizendo que não resta mais o perdão dos seus pecados: E nem mais salvação para ele. Está afirmando que não resta mais batismo, ou seja, ele não pode ser rebatizado; Cristo JÁ desceu às águas com ele!!! Ef 4:5. Estou me referindo à uma pessoa que conhece o Caminho da justiça e foi batizado na Kehiláh de Yaohu’shua, portadora da Lei Moral completa, e foi batizada por um rosh que também é portador dos Mandamentos do Criador. Não vale para uma pessoa que desce às águas e é batizado por alguém que se desvia de um ou mais mandamentos do Criador. Ou por alguém que foi batizado por alguém que o batizou invocando o dogma da trindade, e não o Nome de Yaohu’shua ol’Mehushkyah. Estes devem procurar uma oholyao/congregação portadora dos mandamentos do Criador completa, e se batizar em Nome do Cordeiro que morreu por ele. E, como vimos, este não será um REBATISMO, mas sim a ministração do único batismo válido: Em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah!

O Cordeiro do Criador foi sacrificado “uma única vez para sempre” para tirar os pecados do mundo. O tema mostra em alguns textos e contextos que na “aliança” [após a cruz] o batismo em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah é efetuado para remissão de pecados. “Kafos respondeu: arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah para perdão dos seus pecados” - At 2:38; I Jo 2:12; I Co 6:11; Jo 20:31. O nome deve ser aplicado no singular, ou seja, em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah; uma vez que Mt 28:19 é apócrifo e o conceito de uma trindade (de deuses) provém do paganismo grego!!!

Diante do quadro todos podem ver que aqueles que conhecem o caminho da Verdade, se deviam do Caminho e depois retornam. Repetimos, depois do retorno não resta mais sacrifício pelos pecados, ou seja, rebatismo. Hb 10:26; 6:4- 6. Porque eles foram batizados em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah; ou seja, foram sepultados com Ele no batismo da morte - Rm 6:4. Cl 2:12. É através do batismo que nos unimos a Ele, e passamos a fazer parte do Yaoshor’ul espiritual que é a Kehiláh de Yaohushua - Rm 6:5. Têm duas classes de pessoas no mundo, o “trigo e o joio” - Mt 13:38. “O campo é o mundo, e as boas sementes são os filhos do Reino”, ou seja, o trigo!

O trigo se submete à justiça que vem do Criador, e são sujeitos aos Mandamentos e a Lei Moral, sem desvio em nenhum dos mandamentos [Tg 2:10], ou seja, aceitam todos os Mandamentos que o Criador entregou para sempre, e os coloca em prática. E, como vimos, a Lei cerimonial e festiva que Cristo aboliu na Sua morte [Is 1:132,14; Os 2:11], esta sim, foi cravadas na cruz; lembrando que a Lei dos Alimentos, não faziam parte da Lei Cerimonial [ela não aplaca pecado algum, mas pode levar à perdição]. Os mandamentos que Isaías/Yahshua’yaohuh e Oséias/Ho’shua se referem são aqueles mediante os quais Sha’ul mandou não julgar ninguém (por causa deles), aplicam-se para os sábados solenes e dias de festas que depois da morte de Cristo, Yaoshor’ul como nação continuou colocando em prática e celebrando-os [hoje, assim como a Páscoa/Posqayao, adquiriram um novo significado – a Volta do Messias e Seu governo milenial e terreal – At 15:16]; e, por isto, Sha’ul chamou-os de rudimentos pobres, uma vez que TUDO já havia se cumprido na cruz - Ef 2:15; Gl 4:9; Cl 2:16, 17; etc.

Veja:

Debarím 28

Bênção para a obediência

1Se obedecerem inteiramente a estes mandamentos de UL, vosso Criador, a todas estas leis que vos estou a declarar hoje, UL fará de vocês a maior nação da terra. 2-6E são estas as bênçãos que virão sobre vocês: Serão abençoados nas povoações, Serão abençoados nos campos. Terão muitos filhos, Serão abundantes as vossas colheitas, Terão grandes rebanhos e manadas. Terão a bênção de fruta e de pão. Serão abençoados quando chegarem a um local, e quando partirem para outro local -  Dt 28:1-6. 

O joio também sabe que Cristo morreu por eles. De palavras aceitam, mas negam com as suas obras [leia a parábola da Boa Semente – Lc 8:5-8]. Eles até aceitam boa parte da Lei do Criador, mas se desviam de alguns dos mandamentos (como o santo sábado) e a Lei da alimentação… Rm 8:6. No caso do judaísmo endurecido, eles aceitam toda a Lei! Mas violam a mesma por rejeitar o Cristo, que é o fim [aponta para...] da Lei Rm 10:4. E com isso acabam rejeitando o Criador de todas as coisas - Lc 10:16. Com tais atitudes eles ignoram a justiça do Criador, e “procuram estabelecer a sua própria justiça” e “não se submetem à que vem do Criador” - Rm 10:3. Por falta de Conhecimento não podem agradar ao ETERNO - Rm 8:7. E têm aqueles que negam o Criador e a obra da criação! Ap 14:6-7.

A Lei do descanso adverte o povo que o sábado é o quarto mandamento da Lei do ETERNO, e diz para todos: Que aquele que transgride a Lei morrerá no Juízo final por conta da rejeição e transgressão. “Observa o sábado, porque é santo para vós; quem o profanar, este morrerá; porque se alguém fizer nele algum trabalho (remunerado), aquela vida morrerá - Ex 31:14-16. A morte daqueles [vivos] que são contra a Lei, ocorrerá na vinda de Cristo - Mt 13:41-43. E os mortos [ímpios] de todos os tempos, ocorrerá na segunda ressurreição, no juízo final - Ap 20:11-15.

Todos podem ter certeza, que as festas dos israelitas, a Lei cerimonial de sacrifícios, os dízimos cerimoniais das primícias da terra e dos primogênitos dos animais, os dízimos dos dízimos, das luas novas e da circuncisão é a Lei que FOI abolida [cravada na cruz – Cl 2:14]. Se a Lei que Cristo aboliu não fosse a cerimonial ele teria dito isso? Com certeza não; JAMAIS iria conta o Messias que disse que a Lei não seria revogada, até que a Terra e os (nossos) céus, passassem! – Mt 5:17-19. Sha’ul falou mais, “Anulamos a Lei pela fé? Não de modo nenhum! Antes estabelecemos a Lei - Rm 3:31. Por ai todos podem ver que a Lei que Cristo aboliu foi à Lei Cerimonial, sombras do sacrifício da cruz!

Recapitulando: Os que se submetem “foram sepultados no batismo” da morte com Ele que os “vivificou junto dele, perdoando-lhes todas as ofensas” - Cl 2:13; I Co 6:11. Eles sabem que Yaohu’shua hol’Mehushkyah não pode ser sepultado de novo com eles no “batismo da morte” - Rm 6:3. Para eles existe “um só batismo” - Ef 4:5; Mc 11:30. Sabem também que o “Cordeiro já foi sacrificado” com eles no batismo. E se um deles se desviar do Caminho, “depois de experimentar a boa palavra” - Hb 6:5. “E ter recebido o pleno conhecimento da Verdade”, e depois retornar ao Caminho, não deve aceitar ser rebatizado. Ele sabe que não lhe resta mais sacrifício pelos pecados, ou seja, rebatismo - Hb 10:26. Ele sabe que o ETERNO é misericordioso para perdoá-lo, e com esforço e dedicação deve buscar o perdão do Criador, sem rebatismo!

Eles sabem que há um só batismo, o verdadeiro. Ef 4:5. “Aqueles que um dia foram iluminados e receberam o pleno conhecimento da Verdade, e depois caíram” devem retornar a praticar a Verdade (com oração e dedicação), ou seja, colocar toda a Lei em prática, e com esforço e dedicação buscar o perdão do Criador. Pois o ETERNO é misericordioso para perdoá-los. Aqueles que praticam o rebatismo estão crucificando de novo Yaohu’shua hol’Mehushkyah - Hb 6:6. Todos aqueles que dão ouvidos à teoria do rebatismo, devem se tocar que a teoria é forjada e sem nenhuma base bíblica. Exceto para aqueles que provém de falsas “igrejas” e que portanto, não receberam o Verdadeiro batismo! Estes, na realidade, somente agora é que serão (verdadeiramente) batizados! Portanto, nem mesmo nesta concepção, existe o rebatismo!!!

O ato batismal é único e sagrado. E quem pratica o rebatismo está praticando o desvio da Palavra, e estabelecendo a sua própria justiça. “Quando o justo se desvia da sua justiça” (Ez 18:26, 27), ou seja, deixa de praticar a Lei do Criador, se desvia e começa a praticar a injustiça, ou seja, aquilo que é contra a Lei - I Jo 3:4. Depois se arrepende e retorna ao Caminho, ele é o justo que se desviou do Caminho, arrependeu-se de praticar más ações contra a Lei, e retornou ao caminho e a praticar a retidão - Ez 18:27,28 cf. a parábola do Filho pródigo (Lc 15:11-32). No retorno não deve ser rebatizado. Porque nunca se viu um judeu ser circuncidado de novo. O mesmo aplica-se para o batismo que é sinônimo de circuncisão.

“Mas Yaohu’shua havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados assentou-se a direita do ETERNO - Hb 10:12. Porque, fomos sepultados com Ele na morte por meio do batismo” - Rm 6:4; Cl. 2:12. A teoria do rebatismo é forjada, porque ninguém tem direito de sacrificar mais de uma vez Yaohu’shua hol’Mehushkyah, no batismo da morte. Todos podem ter certeza que assim como há um só UL’HIM; uma só fé; também há um só batismo - Ef 4:5. Diante disto, aqueles que praticam o rebatismo, estão praticando aquilo que é contra a Lei, como se a salvação fosse coisa deles.

 

LIGAR E DESLIGAR ou COLHER O ‘JOIO’

“Eu te darei as chaves do Reino dos céus; tudo o que ligares na terra, será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus” - Mt 16:19; 18:18. Os termos “ligar” e ”desligar” aplicam-se no sentido de proibir e permitir com referência ao ensinamento da Palavra do Criador, ou seja, o ensino fundamental e doutrinário dos profetas e dos apóstolos. “Eu te darei as chaves do Reino”. O povo pode ter certeza, que o termo ligar e desligar devem ser aplicados no sentido de ligar a Palavra do Criador, e desligar as doutrinas de homens. Tem pessoas que por falta de conhecimento de causa, aplicam no sentido de desligar pessoas da Igreja quando essa passa a discordar do sistema centralizado de governo deles… Poderia uma passagem “contradizer” outra, das Escrituras? Não foi ‘proibido’ colher o Joio? Então, como ‘desligar’ alguém da Kehiláh, expulsando-os (excluindo-o de seus quadros)?

Podem crer que o Mestre não falou isso no sentido de desligar pessoas da Igreja. Esse é um velho costume de BABILÔNIA, que passou para as “igrejas da reforma protestante”… Yaohu’shua deu a chave da Palavra primeira ao apóstolo Kafos. Ele foi o primeiro apóstolo a receber aquela autoridade que mais tarde foi conferida aos seus companheiros. O Mestre ainda estava com eles, quando ordenou “não ausenteis de Yah’shua-oléym, mas esperai a promessa do Pai” - At 1:4. Mas recebereis poder, quando o santo espírito  descer sobre vós” - At 1:8; Jo 14:15-17, 26; 16:13.

Kafos foi o primeiro apóstolo a receber autoridade para ligar a Palavra no coração dos judaicos, e desligar doutrinas que faziam parte daquele sistema de coisas cerimoniais e temporários que Cristo aboliria em Sua morte. Ele sabia também que o batismo de Yaohukhanan haveria de consolidar o judaísmo como povo do Criador, desde que estes ACEITASSEM Yaohu’shua hol’Mehushkyah  como seu Redentor!!! E sabia que com o sacrifício de Cristo, e com o estabelecimento da Kehiláh e do batismo de ligação, as coisas para o povo judeu mudaram. Ou seja, Yaoshor’ul como nação legalista [mesmo sendo representante legítimo do Criador entre as nações até o surgimento da Kehiláh na Galiléia] deveria agora mudar suas práticas mediante o cumprimento da cruz... O Véu do Tempo, rasgando desde os céus [Mt 27:51], mostrava isto; porém, a imensa maioria não enxergou isto, até hoje!!!

Ele era conhecedor de que na “aliança” antes da cruz, todos os sacerdotes eram da casa de Aharon. E sabia que Yaohu’khanan, o imersor, tinha linhagem de Aharon e assim passou a linhagem para a Kehiláh. Kafos era sabedor de que Aharon era pai genético de Zochar’yah e de Oliza’bohay e que ele [Aharon] foi o primeiro sumo sacerdote de Yaoshor’ul. E foi dele que se originou a linhagem que Yaohu’khanan passou, espiritualmente, para a Kehiláh, na Galiléia. Sabia que foi Yaohu’khanan, o imersor, que abriu Caminho para Yaohu’shua reunir os primeiros discípulos na Galiléia e enviá-los a Jerusalém/Yah’shua-oléym, Judéia/Yaohu’dáh e Samaria/ Shuamor’yah, no objetivo de evangelizar Yaoshor’ul [as duas Casas juntas: Yaoshor’ul e Yaohu’dah] a aceitar o Criador e Redentor, Yaohu’shua; o batismo de ligação e selar os últimos judaicos dos cento e quarenta e quatro mil com o batismo nas águas.

Os judeus que até o surgimento da Igreja, tinham um sacerdócio como nação, e recebiam o perdão de pecados através do sacrifício de cordeiros vindos das ovelhas e das cabras; agora, com o surgimento da Kehiláh, passaram a ter que aceitar individualmente o Cordeiro do ETERNO, o batismo e as demais condições para voltar a ser povo do Criador; reenxertados! Rm 11. Era isso [apresentar o Redentor] que os apóstolos deveriam ligar no povo israelita… Kafos e os demais apóstolos sabiam que foi Mehu’shua que estabeleceu o sacerdócio que realizava sacrifícios de cordeiros para perdão de pecados do povo! Ex 4:16; Ex 28:1; 40:12 a 16. Sabia que TUDO aquilo eram sombras de um sacrifício superior! Hb 8:1-10.

E a missão deles seria desligar do coração do povo judeu a fé em sacrificar cordeiros vindos das ovelhas e das cabras… E aceitar o sacrifício do Cordeiro do ETERNO, que tira os pecados do mundo! Por isso ordenou àqueles judaicos que creram a se batizarem em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, para remissão de pecados. Ligando o batismo em lugar da circuncisão. Para que todos possam ter uma idéia, só nos primeiros doze anos de mensagem da Kehiláh, eles selaram os demais integrantes dos cento e quarenta e quatro mil, com o batismo de Yaohu’khanan. Ap 7:1-7. Eles desligaram os sacrifícios de cordeiros… E os ligaram a Cristo, mediante o batismo.

Kafos foi o primeiro a chamar ao Caminho [Yaohushua] tanto judaicos, como estrangeiros. “Kafos então se levantou com os onze e, em voz alta, dirigiu-se à multidão: Homens judaicos e todos os habitantes de Yah’shua-oléym, tomem conhecimento disto e prestem atenção às minhas palavras... At 2:14. Quando ouviram isto, se compungiram em seu coração e perguntaram a Kafos e aos demais apóstolos: Que faremos irmãos. Kafos lhes respondeu: Arrependei-vos e cada um de vos seja imerso em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah - At 2:37, 38. Os que aceitaram a sua palavra foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas - At 2:41 Não há salvação em nenhum outro Nome, pois debaixo do céu não há nenhum outro Nome dado entre os homens pelo qual devamos ser salvos” - At 4:12. E então, quer correr o risco de continuar com sua imersão em nome de uma trindade ou mesmo mediante o falso nome, jesus???

O mesmo aconteceu com os estrangeiros. “Levanta-te, pois, desce e vai com eles sem duvidar; porque fui Eu quem os enviou - At 10:20, Quando Kafos entrou na casa de Cornélio, lhe saíram ao encontro - At 10:25. Falando com Cornélio, Kafos entrou, e encontrou ali muitas pessoas reunidas - At 10:27, 28. Então ordenou que fossem batizados em Nome de Yaohu’shua hol’Mehushkyah - At 2:38. Vós, intérpretes, porque tomastes a chave do conhecimento” - Lc 11:52. Não titubeie – Rm 1:22.

Todos podem ter certeza que Yaohu’shua, também recebeu do Pai a chave do Conhecimento para poder ligar e desligar. “E colocarei a chave da Casa de Daoud sobre seu ombro, e Ele abrirá e ninguém fechará, e fechará e ninguém abrirá - Is 22:22. Aquele que tem a chave de Daoud, que abre e ninguém pode fechar, que fecha e ninguém pode abrir” - Ap 3:7.

Ele rogou aos apóstolos que não se preocuparem com a palavra, porque no momento certo lhes seria dada. ”Não fiqueis preocupados como, ou o que haveis de falar; porque no momento vos será dado o que deveis falar” - Mt 10:19; Mc 13:11. Os apóstolos cheios do santo Espírito, ao receberem a chave da Palavra, cumpriram a missão! Os judeus que aceitavam, eles desligaram as leis cerimoniais e ligaram ao Cristo, mediante o batismo. Os mandamentos os judaicos conheciam; mas, o Cordeiro! Assim, selavam o seu aprendizado [fé redentora], descendo às águas!

Para os estrangeiros: “Enquanto Sha’ul os esperava em Atenas, o seu espírito se revoltava diante da idolatria dominante na cidade” - At 17:16. Ele ligava a Yaohu’shua e à ressurreição - At 17:18. “Podemos saber que nova doutrina é esta que falas”: Ou seja, que ligas? At 17:19.

“A Lei foi ordenada, pela mão de um mediador”, ou seja, Mehu’shua. Para o povo que ele tirou do Egito, ele os ligou aos Mandamentos, a Lei do Criador... Isto, em lugar das leis do Faraó. Estamos vivendo os últimos dias e ainda a grande maioria está seguindo normas da BABILÔNIA - Ap 17:5. Desligando pessoas da Igreja [excluído] como se tivessem poder sobre elas, nos parece estar praticando uma inquisição espiritual, por conta própria. Estes que assim agem, sem conhecimento de causa, aplicam este texto para desligar [colher o Joio] pessoas da ‘igreja’ como se tivessem poder para este fim. Agem com base nos textos iniciais do estudo Mt 16:19. Sem saber que a aplicação do texto deve ser no sentido de ligar ao Único UL’HIM, ao Redentor, o Batismo, o Reino e a Lei…

“Em verdade vos digo, que tudo o que ligares na terra, será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado nos céus” - Mt 18:18. É inadmissível fazer uso do nome do Criador em benefício próprio; praticando o abuso de autoridades em nome do Criador como se tivessem direito sobre as vidas. O que todos precisam fazer é aprender com Yaohu’shua, com os apóstolos e com os profetas. E passar a desligar as heresias que predomina, e ligar os Mandamentos e a Lei do Criador no coração das pessoas que dão ouvido à palavra [ a sã doutrina]. É por isso que muita gente conhece e observa uma parte da Lei do Criador, e por falta de conhecimento profana uma parte dos mandamentos.

Entendemos que todas as oholyaos/congregações do Criador em cada cidade espalhada pelo mundo, o ETERNO colocou governos [roshs] em cada uma delas para ministrá-las. E não deu autoridade para um governo que não tem um sumo, desligar quem quer que seja. Assim eram as Igrejas nos dias apostólicas, cada uma ministrava diante do Criador.

“Na Igreja de Antioquia havia profetas e mestres - At 13:1. Eles estavam adorando ao Criador e jejuando quando o santo Espírito disse: Separai-me, Barnabé/Bor’navi e a Paulo/Sha’ul para a obra que os tenho chamado - At 13:2 Então, depois de jejuarem e orarem; impuseram as mãos sobre eles, e os despediram” - At 13:3. Vemos ai os líderes da oholyáo de Antioquia resolvendo um assunto importante. Quando uma oholyao (igreja local) que tem o seu governo local, e por leis humanas, tem que levar assuntos de sua responsabilidade e competência, a um poder central resolver os assuntos que compete a ela, a tal oholyáo está reconhecendo o poder central como apto a resolver e fazer aquilo que compete a ela. Estas oholyaos, TEM que ser autônomas; quando muito solicitar uma opinião a quem tem mais experiência... Porém, em assuntos doutrinais, a OHOLYÁO mãe (sede) deve ser sempre seguida e quando alguma doutrina não soar bem, deve ser consultada e assim, em comum acordo, mudada ou não!!! Assim agiam os apóstolos, que quando necessário, levavam o assunto à Yah’shua-oléym – At 15.

O povo precisa saber e entender, que o fato de Cristo colocar alguém em determinada função, em um governo é uma coisa. E esse alguém centralizar o governo para tirar proveitos da situação é outra coisa bem diferente e profana. E é isso que os tais governos centralizados vem fazendo. E é pelo fato de o povo ser passivo a estes governos ilegítimos, que eles continuam explorando o povo e fazendo o povo errar.

Uma Igreja com poucos membros que não foi estabelecido ainda um corpo ministerial, tem direito de solicitar à oholyáo que gerou a missão naquela cidade, para ajudar resolver os seus assuntos importantes. Este trabalho só é legítimo quando é feito de uma oholyáo mãe para uma filha, ou seja, aquela oholyáo que iniciou a missão; e dá assistência à missão na tal cidade. Mas nunca por imposição de um poder central. Ao estabelecer um corpo ministerial [rosh, anciãos, diáconos, professores, secretários, etc] ela fica em condições de resolver os seus assuntos; mas devem andar no mesmo corpo doutrinal, para não se tornarem “desligadas” do corpo!

O Criador colocou na Kehiláh, “uns para apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres - Ef 4:11, para a preparação dos santos”. Porque foi para a ”preparação dos santos”, que Ele colocou todos na oholyáo, Ef 4:12. E não um para controlar os outros como se fosse um sumo. Yaohu’shua é o sumo da Igreja. “Ele promoveu em cada oholyáo a eleição de seu corpo governamental’ - At. 14:23. As igrejas locais [oholyaos/congregações] que têm um rosh [líder congregacional] devem resolver os seus assuntos, tanto espirituais como materiais; e para isto, devem verificar entre os seus, quem tem o dom da liderança e prepara-los mediante curso específicos de capacitação, tais como o CTA – Curso de Teologia Aplicada by CYC... Assim deve ser em todas as oholyaos do Criador. Amnao!

VOLTAR

FINALMENTE!

CTA: Curso de Teologia Aplicada

   SAIBA MAIS...

Agora com Novos Cursos

Preencha o Formulário abaixo para solicitar um estudo sobre um tema específico ou dar a sua opinião sobre este estudo... Não fique com dúvidas!!!

ATENÇÃO: Verifique se o seu  email está certo; pois não teremos como responder [veja em sua caixa de email, a resposta]!

CONTATOS

[15] 9 9191-8612 (CLARO)

         9 9781-0294 (VIVO)

         9 8121-3482 (TIM)

         9 8800-1763 (OI)

falecom@cyocaminho.com.br

Horário de atendimento: 9:00/19:00hs -  Exceto das 17:00hs/sexta às 15:00hs/sábado [Reuniões do Shabbos] Horário de Brasília

 

 

DÚVIDAS

 
 

  foxyform

 

 

 

A Bíblia de Yaohushua!!!

 A única edição [VERDADEIRA] das Escrituras Sagradas segundo o Nome [ESN - EUC by CYC; Edição Unitariana Corrigida], totalmente sob a ótica de Jo 1:3 onde TUDO foi criado por Yaohushua, está à sua disposição! Nesta edição, muitas passagens onde os judaicos [e trinitarianos] não identificam Yaohushua, Ele está claramente identificado... Além disto, TODOS os nomes de profetas, personagens e locais geográficos estão no Hebraico Arcaico, a língua original das Escrituras. Solicite o seu exemplar e ou ADOTE estas Escrituras em sua oholyáo!!!

Veja mais informações e solicite a sua!

OU: www.oVerboYaohushua.com

 

CONHEÇA: Lição Trimestral Unitariana Jovens/Adultos e Infanto-juvenil.

Lições especialmente preparadas para a Escola Sabática em sua Congregação...

CLIC AQUI  para fazer o seu pedido!

AGORA TAMBÉM COM A FUNÇÃO CARTÃO DE CRÉDITO!

 

Temas DVs

HOME

CYC

CONGREGAÇÃO

YAOSHORUL'ITA

O CAMINHO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.